A população brasileira nunca foi das mais organizadas – financeiramente falando. O momento adverso pelo qual estamos passando atualmente – com recessão econômica, além de inflação e desemprego aumentando – agrava as consequências dessa nossa desorganização financeira.

Uma das melhores ferramentas que temos a nossa disposição para organizar nossas contas, quer seja em épocas de vacas magras ou gordas, é o orçamento. O orçamento nada mais é do que a reunião das receitas e despesas de uma pessoa ou família. Ou seja, para elaborar seu orçamento pessoal, basta discriminar todas as suas fontes de renda e todos os seus gastos mensais. Caso queira fazer o orçamento familiar, reúna essas mesmas informações, porém agora de todos os integrantes da família e não apenas suas.

Não importa se você irá anotar essas informações em um caderno, numa planilha de Excel ou num aplicativo para celular, o importante é anotar. No começo, é bem provável que você esqueça algumas coisas, mas a medida que você vai criando o hábito de registrar todos os seus gastos, nenhuma despesa, por menor que seja, irá fugir ao seu controle.

Ao elaborar seu orçamento, sugiro que divida suas despesas por grupo: transporte, alimentação, casa, lazer, etc. Não adianta você chegar ao final do mês e saber quanto gastou, se não souber para onde foi o dinheiro. Ao dividir suas despesas por grupo, você descobrirá exatamente qual o montante total do seu orçamento você está destinando para cada área da sua vida.

A partir dessa informação, você terá condições de analisar seu orçamento e tomar as decisões mais adequadas para ajustá-lo a sua realidade financeira. Ou seja, se o seu salário não está durando o mês inteiro, o seu orçamento irá te mostrar em que grupos de despesa você está gastando mais do que pode, ajudando-o a colocar suas finanças novamente em ordem.

Mais do que meras informações, a elaboração do orçamento te auxilia na tomada de decisão. Aonde estou precisando economizar? Com que despesas estou gastando mais do que devo? Será que estou gastando demais com refeições fora de casa? Será que estou comprando mais roupas do que posso pagar – e usar? Qual o valor total que gasto com meu carro por mês?

São essas e outras respostas que o orçamento irá te dar. Cabe a você saber utilizá-las da melhor maneira possível. O orçamento nada mais é do que uma ferramenta que pode ajudá-lo a construir uma vida financeira mais saudável, mas para isso é preciso que você utilize-o corretamente.

De nada adianta você anotar todas as suas despesas e chegar ao final do mês e guardar a folha em uma gaveta para nunca mais tirar de lá. A verdadeira importância do orçamento não está no orçamento em si, mas sim no que podemos fazer a partir das informações que ele nos fornece.

Por mais bem elaborado que seja um orçamento, ele terá pouquíssima serventia se você não fizer a sua parte: analisar as informações ali presentes e tomar decisões para ajustar o seu orçamento a sua realidade financeira e aos seus objetivos de vida. Isso sim fará toda a diferença.

Samuel Magalhães