De Portal Goiatins/editado por Maciel
Para fazer valer a ordem de desapropriação de cerca de 300 Famílias, em favor de uma Associação de Produtores de Soja da região de Campos Lindos-TO, mais de 20 Policiais Militares, Oficias de Justiça, Comissão Pastoral da Terra e Conselho Tutelar, se deslocaram para Região do Mirante, município de Campos Lindos-TO para fazer cumprir a decisão.
Na área existem famílias que afirmam viverem por lá produzindo a varias gerações. Hoje na região se encontra o clima de tensão, pois muitos moradores não querem sair de suas terras, pois não tem pra onde ir.

Hoje os policiais recuaram, mas devem montar estratégia e voltar para entrar no povoado e cumpri a ordem judicial já que na primeira tentativa não obtiveram êxito devido os obstáculos provocados pelos moradores.

Relembrando:
Ano passado, a Desembargadora Jaqueline Adorno, havia suspendido uma reintegração de posse de caráter liminar até a decisão final da ação, com isso o Tribunal de Justiça tornou sem efeito a decisão do juiz da comarca de Goiatins, Luaton Bezerra Adelino de Lima, que havia determinado a reintegração de posse em favor da empreiteira Warre Engenharia e Saneamento Ltda, com sede em Palmas.
Para a desembargadora a decisão monocrática do juiz de primeira instância causou estranheza já que na localidade há inúmeros lotes do Loteamento Santo Antônio e Santa Catarina do Município de Campos Lindos que não tem sequer matrículas no cartório imobiliário, e não há um trabalho de efetiva distribuição de terras em programa de reforma agrária na região.

Ano passado o assunto foi destaque no canal do povo:

A ordem dada neste ano de 2015 pela justiça aos moradores da Região do Mirante consta como reintegração de posse de área invadida, ao contrario da decisão da justiça os moradores relatam que estão nas terras há mais de 150 anos. Segundo eles a decisão tomada não consta nenhum valor indenizatório para as famílias que nasceram si criaram e vivem somente do que produzem naquelas terras, caso a ordem da justiça seja cumprida, muitas pessoas não terão do que viver e um lugar para morar.