Por Samuel Magalhães
Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, ter um bom salário não quer dizer ser independente financeiramente, muito menos ser rico. Sei que esse tipo de afirmação contraria a lógica, mas a lógica, às vezes, precisa ser contrariada.
Conheço um promotor que ganha R$25 mil por mês e, mesmo assim, vivia no cheque especial. Conheço também um vendedor que ganha menos de R$2 mil por mês e ainda consegue economizar pelo menos R$500 todo santo mês.
Como podemos ver, nem um dos melhores salários do funcionalismo público foi suficiente para este homem da lei colocar suas finanças em ordem. Enquanto para o vendedor, um salário bem inferior foi mais do que o bastante para ele pagar todas as suas contas e, ainda por cima, poupar uma boa quantia.
A despeito do que a maioria de nós costuma pensar, os rendimentos pouco dizem sobre nossa saúde financeira. O que realmente conta é nossa Capacidade de Poupança, ou seja, quanto do que recebemos todos os meses conseguimos poupar para investir no nosso futuro e alcançar nossos objetivos.
Um contracheque gordo não é garantia de uma vida financeira bem-sucedida. Se esta pessoa não poupar parte do que ganha e utilizar esses recursos para investir no seu futuro, pode até viver bem pelo resto da vida, mas dificilmente atingirá sua independência financeira. Ganhos elevados, em geral, vem seguidos por gastos também elevados. E, se no fim do mês, sobra pouco ou nada, não importa quanto você tenha ganhado, você simplesmente não conseguiu acumular riqueza.
A maioria das pessoas acredita que a única forma de melhorar suas finanças é aumentando seus rendimentos e acabam esquecendo que tão importante quanto ganhar é poupar parte dos ganhos.
Portanto, independente do quanto você ganhe, caso almeje ter um futuro financeiro próspero, é bom começar a poupar o quanto antes.
Autor: Samuel Magalhães