Por Cimberley Cáspio

imagem:slideplayer.com.br

Em recente entrevista a BBC,um bruxo africano arrependido,confessou ter sacrificado 70 crianças aos espíritos da África,inclusive o seu próprio filho.

Polino Angela,um bruxo agora aposentado e convertido à causa dos ativistas contra o sacrifício humano, disse ter convencido cerca de 2.400 ex-colegas a abandonar o negócio desde que se arrependeu em 1990.

E contou em detalhes toda a prática do macabro ritual.”Disse que sacrificar crianças é comum na África.Muito embora seja um ato macabro,não é considerado assassinato pela maior parte das autoridades africanas.Afinal,grande parte da sociedade africana,principalmente políticos, procuram os bruxos para esse tipo de sacrifício.O objetivo é prosperidade,enriquecimento,e poder político.

Sendo assim,a criança é escolhida,raptada e levada para o ritual,onde o bruxo então pega a faca,crava na nuca da criança e rasga o corpo infantil de cima a baixo,logo após,oferece o corpo infantil dilacerado e o sangue ao espírito.”

As queixas são feitas constantemente as autoridades pelos parentes das crianças “desaparecidas”, porém com algumas exceções,muitas das autoridades estão envolvidas,e por isso,quase nada se faz,ou nada mesmo se faz.E os que se metem a tentar fazer alguma coisa pra impedir,pode acontecer um “acidente.” Não há uma ação prática para acabar com isso por parte das autoridades africanas.E os sacrifícios humanos não param,e aumentam na região.
O valor pago ao bruxo pelo sacrifício,sai por volta de 300 dólares,onde a maior parte desse dinheiro é enviado para um bruxo-chefe. Algo parecido com uma rede de pequenos,e médios bruxos,chefiados por um bruxo central,ou,podemos dizer,um bruxo presidente.Claro que diante disso,é fácil entender que o bruxo presidente,deve ter estreita relação com a “nobreza local”,e que de forma também muito clara,é fácil entender o por que não há uma ação prática das “autoridades locais e regionais” para dar um fim no macabro infanticídio.E na verdade,isso não vai ter fim,simplesmente porque a comunidade internacional não se interessa.
Dessa forma,a luta humana pela vida no Continente Africano é uma constante.É idêntico ao reino animal. A criança ao nascer e em todo tempo que estiver desenvolvendo ainda na infância ,está exposta tanto aos animais,quanto aos bruxos.Se conseguir passar dessa fase,fica exposta a um recrutamento forçado de uma guerra política,ou,serviços forçados em minas de diamantes,ou,sendo menina,pode ser estuprada,raptada,ou forçada a casamentos tribais.Se conseguir passar dessa fase,pode ser morto por gangues invasoras dentro de sua própria casa.Se não for morto por gangue,com certeza,a malária,ou ebola o matará.Se a malária e o ebola não o matar,pode ficar cego pela “cegueira do rio”,uma praga que já deixou 800 mil pessoas cegas na região,todas com menos de 50 anos.Enfim,se conseguir chegar e ultrapassar os 50 anos com vida e com saúde, ganhou a mega-da-virada.

Fonte: BBC