Por Maciel
Mesmo com os avanços tecnológicos do país, mão-de-obra melhorada e outros benefícios, o município vem sendo motivo de críticas e pouca credibilidade no cenário político nacional. Dentre tantos fatores relevantes destacam-se a baixa pontuação no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e o número de gestores caçados ou com seus nomes estampados nas páginas do judiciário nos últimos tempos.

Entre as cidades do norte do Estado do Tocantins, Filadélfia, Palmeirante, Barra do Ouro, Itacajá e Campos Lindos, Goiatins ficou em penúltimo lugar em crescimento na última divulgação em 2010.

Dentre os servidores efetivos do município, há profissionais com formações em diversas áreas como: Direito, Administração, Serviços Sociais, Analista de Sistemas (Gestão de projetos), Biologia, Contabilidade, Eletricista, Matemáticos, Tecnólogos e outros. No entanto, os prefeitos que por aqui passaram tiveram suas preferências por importação de trabalho, seja por acordo político ou por a fama de que “santo de casa não obra milagre”.

Coincidência ou não, importar serviços profissionais de fora deste município e a desvalorização do efetivo goiatinense, já causou grandes dívidas à prefeitura e levaram a cassação de quatro prefeitos desde o mais humilde ao “doutor”.

Verdade esta, que nem mesmo os diplomas dos “doutores” mudaram a calejada desculpa pelo fracasso de cada gestão, em que o povo já conhece bem o resultado!
Diante do exposto, tal situação pode ser considerada má fé dos próprios gestores ou despreparo, a falta de planejamento e compromisso com o bem público?