Por Cimberley Cáspio

A guerra dos sindicatos & sindicatos & prefeitura & estado & União,não só trava o trânsito,como também a produção,o desenvolvimento e as contas a pagar,tanto de empresários,como do cidadão em geral.

Na hora de pagar as contas,as multas,o SPC e Serasa,não reconhecerão retração de receitas,devido o prejuízo pelas greves,o que força o empresário e cidadão,a se virar,e ter que estar em dia com o valor correto da obrigação e fazer o pagamento devido.

E no interior da panela,o caldo vai fervendo,explodindo reações diversas dos mais diferentes setores; onde algumas dessas reações,descambam mesmo até para depredações e violência.Quem vai pagar o prejuízo?Se não tiver o dinheiro para pagar a prestação da geladeira,o sindicato grevista vai pagar?O prefeito vai pagar?O governador vai pagar?Ou,a Presidente Dilma vai pagar?Não. Além de ninguém ressarcir o prejuízo do trabalhador vítima da greve,que pode perder até o emprego,se a empresa também não captar receita necessária; onde muitos micro,pequenos e médios empresários,já até fecharam às portas.Com greves intermináveis e falta de receita,não há outro caminho,que não seja à falência.

Mas infelizmente,o governo e instituições,também não dão exemplos,criando assim,um feudo financeiro cruel; tirando mais de quem não tem e acrescentando à quem mais tem. Um modelo econômico de produção e desenvolvimento totalmente jurássico.Funciona na Coréia do Norte,mas não em países globalizados,onde todos precisam ganhar o suficiente para ter uma vida digna.Não estou falando de salários majestosos de servidores públicos,mas sim,salários que suportem pagamentos básicos de moradia,saúde,educação,alimentação,transporte e lazer.Em que infelizmente,os salários populares em geral,não suportam uma semana de boa alimentação,imagine o resto.

A intenção da greve é justa,mas a forma como é praticada,é que se torna injusta.

Sendo assim,num processo incontrolável de greves,é complicado demais, qualquer cumprimento à contento,de pagamento;o sacrifício é enorme. E pelo andar da carruagem,o número de endividados que já é alto,vai subir mais.E no futuro,só restará ao governo,assumir a dívida da população,e começar de novo.