Por Cecilia Jamasmie – reproduzido e editado de Mining.com p/Cimberley Cáspio

petralhas

O Bank of Nova Scotia, Deutsche Bank e HSBC foram acusados ​​de fixação do preço de trilhões de dólares de prata, numa alegação semelhante a ações anteriores envolvendo a correção de ouro em Londres.

O investidor J. Scott Nicholson entrou com uma ação contra os três bancos por supostamente manipular o preço da prata e, no processo, ganhar dinheiro às custas dos investidores menores.

Nicholson afirma que os bancos abusaram da sua posição e ilegalmente manipularam o valor de referência, violando leis antitruste e da Lei Commodity Exchange.

“A natureza da [o sistema] cria um ambiente que é altamente suscetível à manipulação e conspiração”, o processo alega. “O apelo em si é completamente secreto. Não há observadores externos, e há gravações … nunca foram divulgadas. Não existe um órgão regulador que supervisione o processo de leilão ou verifica os dados apresentados pelos réus.”

Um porta-voz do Bank of Nova Scotia disse à Bloomberg que iria “se defender vigorosamente” em si. Já o HSBC e Deutsche Bank não comentaram.

O litígio busca indenização não especificada, mas outras ações já foram apresentadas contra os bancos citados na ação de prata e outros, sobre alegada fixação semelhante no mercado do ouro.

Em janeiro, o Deutsche Bank anunciou que deixaria de participar nos mercados de fixação de preços para o ouro e prata. E os reguladores britânicos multaram a Barclays em maio,em quase US $ 50 milhões por tentativas de manipulação.

Os mercados financeiros têm estado sob escrutínio sério depois da Libor (London Interbank Offered Rate) ,onde no ano passado revelou que a taxa interbancária de Londres estava sendo manipulada.