Por Ingrid Araújo

Tório 01Foto: laserpowersystems

Tório 02Tório – Foto:infoescola

Imagine comprar um carro hoje e ter a certeza de que você só precisará se preocupar com o combustível daqui a 100 anos, em 2114. É com esse objetivo que a Laser Power System, uma empresa de engenharia automotiva de Conecticut (EUA), desenvolveu um protótipo de transporte sustentável que funciona a base de tório, material químico radioativo. De acordo com o jornal Corriere de La Siera, o metal faz parte do motor e não permite a emissão de gás carbônico.

O tório (Th), na tabela periódica de elementos, é um metal radioativo natural usado para fabricar vidros especiais e de filamentos para lâmpadas incandescentes. Está entre os elementos mais densos existentes no mundo e, de acordo com o projeto da empresa, poderia produzir energia suficiente para movimentar carros.

Charles Stevens, CEO da Laser Power System, explicou ao jornal O Estado de São Paulo que “o tório seria capaz de produzir energia durante 100 anos sem emitir substâncias nocivas ao meio ambiente com apenas oito gramas dele no tanque do veículo, o equivalente a 28 mil litros “.

De acordo com nota publicada no site da empresa, o uso do tório para produção de energia poderia ser aplicado também em caminhões, navios, prédios comerciais, residências, transporte e até aviões e naves espaciais com o objetivo de suprir a demanda de energia desses veículos e ambientes.

O tório é considerado combustível em potencial para automóveis há muito tempo. Ele já foi indicado para substituir o urânio nos reatores de energia nuclear graças à sua relativa segurança, pois é mais fácil de ser extraído do solo, menos radioativo que o urânio e ainda produz menor impacto ambiental.

Além disso, um propulsor alimentado com tório não conseguiria desencadear uma reação nuclear, como ocorre com os reatores alimentados com o urânio. Os mais recentes protótipos de motores a tório para transporte sustentável pesam cerca de 250 kg, um pouco mais pesado do que os motores de automóveis convencionais.

Abastecer carros com tório é uma tecnologia que já existe desde 2009, quando Loren Kulesus criou um modelo chamado World Thorium Fuel Concept Car, visto no Salão de Automóveis Cadillac, de Chicago. O tório foi descoberto em 1828 pelo químico sueco Jons Jakob Berzelius, que batizou o elemento com esse nome em homenagem ao Thor, um deus nórdico. Por ser um mineral pesado, o tório consegue produzir uma enorme quantidade de calor, e consequentemente, bastante energia.

Fonte : Pensamento Verde